Licensa

22/04/2015

Eras - Manoel de Barros

Antes a gente falava: faz de conta que 
este sapo é pedra. 
E o sapo eras. 
Faz de conta que o menino é um tau. 
A gente agora parou de fazer comunhão de 
Pessoas com bicho, de entes com coisas. 
A gente hoje faz imagens. 
Tipo assim: 
Encostado na Porta da Tarde estava um 
Caramujo. 
Estavas um caramujo – disse o menino 
Porque a Tarde é oca e não pode ter porta. 
A porta eras. 
Então é tudo faz de conta como antes?
BARROS, M. de. O fazedor de amanhecer. Rio de Janeiro: Salamandra, 2001. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário