Licensa

03/11/2014

Carro de Pau - Por Fernando Pessoa


O carro de pau
Que bebê deixou...
Bebê já morreu,
O carro ficou...

O carro de pau
Tombado de lado...
Depois do enterro
Foi alí achado...

Guardaram o carro.
Guardaram o bebê.
A vida e os brinquedos
Cada um é o que é.

Está o carro guardado.
Bebê vai esquecendo.
A vida é pra quem
Continua vivendo...

E o carro de pau
É um carro que está
Guardado num sótão
Onde nada há...



© FERNANDO PESSOA 
In Obra Poética e em Prosa. Vol. I, 1986 
Ed. Lello, Porto 

Nenhum comentário:

Postar um comentário