Licensa

04/05/2014

Finá de ato *

Adispôs de tanto amor
De tanto cheiro cheiroso
De tanto beijo gostoso, nós briguemos
Foi uma briga fatá; eu disse: cabou-se!
Ele, disse; cabou-se!
E nós dois fiquemos mudo, sem vontade de falá.
Xinguemos, sim, nós se xinguemos

Como se pode axingá:

— Ô, mandinga de sapo seco!
— Ô baba de cururu!
— Tu fica no Norte
Que eu vô pru sul

Não quero te ver nem pintado de carvão
Lá no fundo do quintá
E se eu contigo sonhar
Acordo e rezo o Creio em Deus Pai
Pru modi não me assombrá.
É… o Brasil é muito grande
Bem pode nos separar!

Eu engoli um salucio
Ele, engoliu bem uns quatro.
Larguemo o pé pelo mato
Passou-se tantos tempo
Que nem é bom rescordar…

Onti, nós si encotremus
Nenhum tentou disfaçá
Eu parti pra riba dele
Cum um fogo aceso nu oiá
Que se num fosse um cabra de osso
Tava aqui dois pedaço.

Foi tanto cheiro cheiroso…
Foi tanto beijo gostoso…
Antonce nós si alembremos
O Brasil… é tão pequeno
Nem pode nos separá!

Texto original de autor desconhecido. Adaptação de Gertrudes da Silva Jimenez Vargas

Nenhum comentário:

Postar um comentário