Licensa

14/04/2014

Que lição tirar de Billy Elliot?

Com sensibilidade e determinação, é possível livrar-se de rótulos, vencer preconceitos e conquistar a realização pessoal.
FILME: Billy Elliot, dirigido por Stephen Daldry, com Julie Walters e Jamie Bell, 2000.
A HISTÓRIA: Billy Elliot (Jamie Bell) é um garoto de 11 anos que vive em uma pequena cidade mineradora da Inglaterra. Mesmo obrigado pelo pai a treinar boxe, fica fascinado com o balé. Estimulado pela professora de dança da academia que frequenta (Julie Walters), ele resolve deixar a luta de lado e se dedicar totalmente ao balé e precisa enfrentar os preconceitos da sociedade local.
QUEM INDICA: A jornalista e escritora Isabella Saes. "O aprendizado de balé muda para sempre a vida de Billy, que acaba até sendo aprovado para o Royal Ballet de Londres. A transformação do pai dele - um cara super durão - numa pessoa mais sensível se dá justamente por meio desse filho, que resolve assumir a vontade de dançar e segue em frente".
POR QUE VER: "É uma obra que motiva a discussão sobre preconceito e discriminação por meio da história de um garoto que decide se dedicar a aprender dança, algo considerado impróprio para alguém do sexo masculino naquela região e naquela época", diz Ana Lúcia Tampellini, coordenadora pedagógica da Escola São José de Vila Matilde, de São Paulo.
QUE BOM EXEMPLO TIRAR: "Na cena em que eles estão construindo a coreografia da apresentação, ocorre algo bem diferente. A professora pede que ele traga as coisas que gosta para a academia: luva de boxe, a bola de futebol. Buscar esse conhecimento de dentro do aluno tem tudo a ver", acredita o professor de artes, filosofia e sociologia Zilton Salgado, do Colégio Vértice, também da capital paulista.
 Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário