Licensa

03/09/2013

O homem faz contas e faz de conta - O artista e o matemático

 Curioos | A closer look into "Everything" by Anai Greog | via Facebook
"Fazer arte, fazer matemática é, sobretudo, responder esteticamente aos quebra-cabeças que a natureza nos impõe." Quem afirma é o matemático Luiz Barco. Seja nas formas, na música ou na arquitetura, as relações entre arte e matemática estão sempre presentes. 
Sinopse

Apreciar e compreender obras artísticas e teorias matemáticas nos pede um olhar ampliado. Este documentário traz os diálogos entre essas duas áreas, apresentando o pensamento de homens que construíram complexas estruturas na busca da estética do raciocínio presentes na cúpula de Brunelleschi, nas invenções de Leonardo da Vinci, nas curvas de Niemeyer e nos cálculos de Joaquim Cardozo. A reflexão sobre a presença da matemática em linguagens artísticas, como na poesia, nas pinturas e nas esculturas dos concretistas e neoconcretistas, nos leva à produção artística contemporânea que utiliza novas tecnologias.
O passeio dos olhos do professor
Na compreensão de possíveis trajetórias pedagógicas a partir do documentário, é importante que você registre suas impressões, percepções. Nossa sugestão é que suas anotações iniciem um diário de bordo, como um instrumento para o seu pensar pedagógico durante todo o processo de trabalho junto aos alunos.
Algumas questões iniciais, como uma pauta do olhar, podem instigar outras:
  1. Quais aspectos do documentário o levam a perceber processos de criação? 
  2. O que chama a sua atenção em relação ao trabalho colaborativo entre artistas e matemáticos?
  3. Se o ser humano ”respira matemática embora não tenha consciência disso”, que exemplos ficam claros no documentário?
  4. A estética industrial e racionalista está visível em artistas e obras. Quais deles estão mais distantes de seu repertório? 
  5. Como imagens e palavras da poesia concreta provocam seu olhar?
  6. O documentário lhe faz perguntas? Quais?
  7. O que você imagina que os alunos gostariam de ver no documentário? O que causaria atração ou estranhamento?
  8. Para você, quais focos de trabalho para a sala de aula o documentário pode desencadear?

Um comentário: