Licensa

07/09/2012

Campanha contra Leishmaniose - Proteja seu cachorro e sua família.

 Macho (esq.) e fêmea adultos do flebotomíneo
Leishmaniose visceral, ou calazar, é uma doença transmitida pelo inseto chamado FLEBOTOMÍNEO, também conhecido como mosquito-palha ou birigui (Lutzomyia longipalpis) que, ao picar, introduz na circulação do hospedeiro o protozoário Leishmania chagasi. 
Embora alguns canídeos (raposas, cães), roedores, edentados (tamanduás, preguiças) e equídeos possam ser reservatório do protozoário e fonte de infecção para os vetores, nos centros urbanos a transmissão se torna potencialmente perigosa por causa do grande número de cachorros, que adquirem a infecção e desenvolvem um quadro clínico semelhante ao do homem. 
A doença não é contagiosa nem se transmite diretamente de uma pessoa para outra, nem de um animal para outro, nem dos animais para as pessoas. A transmissão do parasita ocorre apenas através da picada do mosquito fêmea infectado. 
Na maioria dos casos, o período de incubação é de 2 a 4 meses, mas pode variar de 10 dias a 24 meses.

Sintomas no cão
A leishmaniose apresenta-se no cão com sinais de:
·         emagrecimento progressivo;
·         vômito;
·         febre regular;
·         aumento do baço e fígado;
·         crescimento exagerado das unhas;
·         ferimentos na pele que nunca cicatrizam, em geral no focinho, orelhas e extremidades;
·         queda de pelos;
·         fezes sanguinolentas.
Nem sempre todos esses sintomas estão presentes, e o animal pode ter leishmaniose sem manifestar sinal algum.
A realização apenas do exame clínico pode levar a afirmações precipitadas porque algumas doenças como a sarna negra podem ser confundidas com a leishmaniose. Por isso é necessário também fazer exames laboratoriais para diagnosticar essa doença. 
Sintomas no homem
Os principais sintomas são:
·         febre intermitente com semanas de duração;
·         fraqueza;
·         perda de apetite;
·         emagrecimento;
·         anemia;
·         palidez;
·         aumento do baço e do fígado;
·         comprometimento da medula óssea;
·         problemas respiratórios;
·         tosse seca;
·         diarreia;
·         sangramentos na boca e nos intestinos.

Concurso Cultural “Xô Leishmaniose”
As crianças e os adolescentes são multiplicadores da informação. O concurso quer suscitar a pesquisa, o conhecimento. O objetivo do concurso é que as escolas passem a adotar a leishmaniose como tema transversal nas escolas, assim como hoje acontece com a dengue”, diz a supervisora de Divulgação, Comunicação e Informação da Secretaria Municipal da Saúde, Vera Lúcia Pretti.

Atividade produzida pelos alunos do quarto ano
Boa tarde Rose!
Envio algumas fotos do trabalho que realizamos sobre a leishmaniose visceral para que, caso considere interessante, você faça uma postagem em algum dos blogs. Após a discussão sobre o assunto, utilizando o texto informativo disponibilizado no HEC, as crianças confeccionaram cartazes que serão expostos pela escola. Todos os alunos que aparecem nas fotos tiveram o uso da imagem autorizada pelos pais.
Beijos
Camila

Nenhum comentário:

Postar um comentário