Licensa

10/08/2012

Por que a obra de Jorge Amado é importante?


O professor Antonio Dimas, da USP, fala sobre a relação entre esses dois grandes pensadores do Brasil
"No Brasil, temos uma história que vem sendo praticamente escrita apenas por Rio de Janeiro e São Paulo, uma espécie de império cultural determinado por esses centros. E eu acho isso uma cegueira, o Brasil é muito maior... Basta reparar no trabalho que Jorge Amado faz, nos anos 30, por meio do romance, e o que Gilberto Freyre também faz, no mesmo período, com os ensaios sociológicos, são formas de habilitar o País de um modo muito mais amplo do que o realizado pela Semana de 22, por exemplo. Porque o modernismo que tanto se fala dessa época é um modernismo paulista, ao passo que Amado e Freyre abrem a janela para um território bem mais vasto de Brasil. A Bahia é um fato novo, por assim dizer, ela começa a aparecer nos anos 50 e 60 e Jorge é responsável por isso, essa capacidade de mostrar outras formas de viver, comer, pensar que não de molde carioca ou paulista. Além de Amado e Freyre, também há o escritor Erico Veríssimo, no Rio Grande do Sul... Todos eles responsáveis por abrir o horizonte, ampliar o território nacional".
Jorge Amado foi influenciado pela obra de Freyre?
"Não acho que ele tenha sido muito influenciado, claro, ele lê Casa-Grande & Senzala, mas tem lá suas ideias... Ambos demonstram enorme interesse pela cultura negra, isso é certo, mas cada um trata o tema do seu jeito. Freyre tem formação acadêmica deliberada, ele vai para os Estados Unidos e passa dois anos estudando Antropologia, no Texas, enquanto Amado, filho de um fazendeiro de cacau bem sucedido, vai crescer no Pelourinho, imagine o quanto ele aprontou, sozinho, em Salvador... E depois vai frequentar o curso de Direito não porque queria saber algo sobre as leis, mas sim porque precisava estudar... Não há influência alguma desses estudos em sua obra".

Nenhum comentário:

Postar um comentário