Licensa

17/07/12

Poesia visual

Poesia visual pretende ser um tipo de poesia em que, abolindo-se certas distinções entre os gêneros como poesia, teatro, música, dança, pintura, escultura e outros, o texto, as imagens e os símbolos estão distribuídos de forma que o elemento visual pode assumir a principal função organizacional da obra, não dependendo da existência de símbolos de escrita para sua caracterização como poesia, embora não os excluindo. Sendo uma definição ainda polêmica da chamada "arte poética", o poeta Ferreira Gullar afastou-se do grupo de artistas neoconcretos por considerar que o conceito de poesia não deve se afastar do conceito de linguagem verbal.


Conceitos de poesia visual
Conforme definida pelos teóricos do Poema/processo Moacy Cirne e Álvaro de Sá, em Do modernismo ao poema/ processo e ao poema experimental (1978), poesia visual é o "produto literário que se utiliza de recursos (tipo) gráficos e/ou puramente visuais, de tendência caligramática, ideogramática, geométrica ou abstrata, cujo centramento gráfico-visual não exclui outras possibilidades literárias (verbais, sonoras etc.)". Ou seja, neste sentido, bastando que exista uma informação organizada artisticamente através de elementos gráficos ou visuais, temos um poema visual. Desta forma, mesmo um objeto a ser observado em sua forma tridimensional, assemelhado a uma escultura, por exemplo, desde que composto por elementos que representem signos individuais, inseridos em um contexto de elementos desta mesma natureza, pode ser considerado um poema visual.

Formas de poesia visual
Muitas vezes confundida com a poesia concreta, pelo caráter imagético desta, ocorre que a poesia visual tem um caráter inclusivo, existindo poemas visuais desde a Antiguidade. A poesia concreta tradicional jamais prescinde da linguagem verbal, seja na sua forma escrita ou fonética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário