Licensa

31/07/2012

Nada será como antes - Milton Nascimento e Ronaldo Bastos

Resumo: Música de 1971, que foi liberada pela censura mesmo contendo versos como: “Que notícias me dão dos amigos? Que notícias me dão de você?”. A canção faz clara referência às pessoas exiladas e que não podiam voltar ao próprio país pois seriam presas pelo regime militar.
Milton Nascimento canta "nada será com antes", show acústico na Suíça, 1980, acompanhado de Wagner Tiso
Para saber mais: clique aqui


Milton Nascimento
Compositor. Instrumentista. Cantor.
Nascido no Rio de Janeiro, mudou-se com sua família, com um ano e meio de idade, para a cidade de Três Pontas(MG), onde foi criado. Aos quatro anos, recebeu de presente uma sanfoninha de dois baixos, seu primeiro instrumento musical. Em 1955, atuando como crooner, fez parte de um conjunto de baile, do qual participava, também, o mineiro Wagner Tiso. Dois anos depois, ganhou um violão e fundou, também com o pianista mineiro, o conjunto Luar de Prata, com o qual se apresentou em vários bailes e shows na cidade. Nessa época, terminou o ginásio e ingressou no curso de Contabilidade, atuando paralelamente como disc-jóquei da Rádio Clube de Três Pontas. Teve as primeiras noções de piano com a mãe de Wagner Tiso. Fonte

Ronaldo Bastos (Ronaldo Bastos Ribeiro)
Compositor. Produtor musical
Compositor. Produtor musical. Começou a compor ainda menino, escrevendo marchinhas de carnaval em parceria com colegas de colégio. Na década de 1970, formou-se em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Iniciou sua carreira artística compondo, em parceria com Milton Nascimento, a canção "Três pontas", seguida por "Fé cega, faca amolada" e "Nada será como antes", dentre várias outras registradas em discos do parceiro. Em 1973 sua composição "Cravo e canela" (c/ Milton Nascimento) foi registrada por Caetano Veloso no LP "Araçá azul". Na década de 1980, sua canção "Um certo alguém" (c/ Lulu Santos) obteve sucesso na gravação do parceiro. Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário