Licensa

27/04/2012

Educar é humanizar

1. Educar é humanizar, é tornar o ser humano, que tem condição e não natureza pré-determinada, mais humano, racional e gregário; 

2. Educar é descentrar, isto é, ajudar a superar o "pecado original" do egocentrismo, que está em toda criança, para encaminhá-la rumo à socialização;

3. Educar é ensinar a olhar para fora - leitura do mundo, reconhecimento do outro - e para dentro - auto-conhecimento; 

4. Educar é fazer ler, escrever e contar para tornar o educando capaz de reflexão, narrativa e partilha;

5. Educar é facilitar a percepção de cada um e de todos como seres naturais e culturais, dotados de objetividade e subjetividade, quebrando a dissociação corpo/espírito;

6. Educar é ensinar a grande geografia, a percepção do nosso espaço vivido, e a imprescindível ecologia, pela qual nos compreendemos como parte da natureza, e não seus dominadores e exploradores;

7. Educar é despertar em cada um a consciência da história, que valoriza o passado que nos constituiu, o presente que nos explica e o futuro socialmente mais justo e igualitário a ser construído; 

8. Educar é politizar, ou seja, estimular em cada aluno a consciência de classe e de cidadania, o espírito crítico e o ânimo participativo na civitas, na polis, na sociedade humana; 

9. Educar é possibilitar o discernimento entre informação, em geral meramente publicitária e dispersa, moldada para forjar consumidores, e conhecimento, que vai fundo no entendimento do mundo, e forma pessoas;

10. Educar, enfim, é fazer artesanato, com a consciência de que a escola, por si só, não muda a sociedade, mas pode e deve transformar as pessoas, e essas, organizadas na cena pública, poderão revolucionar o mundo.
"Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível."
Francisco de Assis
Uma das professoras da nossa escola está realizando o trabalho que exponho a seguir de acordo com o relato elaborado pela mesma: "Em 12/03/2012, tivemos a seguinte roda da conversa
1. Dar continuidade ao projeto de inclusão, através de conversas que levem a respeitar sobre as diferenças sócio econômicas. 
2. Fazer questionamentos e conduzir a conversa para o respeito com os menos afortunados, a importância em ser solidário, dividir o que sobeja nas nossas casas, desde que autorizados pelos pais, aprender a compartilhar. 
3. Informar que existem instituições que ajudam a quem tem fome. tais como a pastoral da saúde, que visitam as pessoas cadastradas nas Igrejas Católicas ou Centros Comunitários; o Centro Espírita, que faz comida todos os dias para as pessoas que moram nas ruas, catadores de papéis ou quem tiver fome e quiser comer pode, são limpos e tem pessoas que trabalham voluntariamente ... 
4. Pobreza é uma violação dos direitos humanos e segundo a fao: food and agriculture organization (explicar sobre esse órgão internacional), que a fome esta no mundo e temos 1 bilhão, que isso é muita gente, que estão subnutrida (...)".
Objetivo: Humanização 
Nesse mesmo dia um aluno, o Rafael entregou seu lanche para que fosse dividido na sala, e o lanche era um único pacotinho de biscoito club social. Insisti para que ficasse com seu lanche, e não teve jeito, dividi em pequeninos pedaços, onde cada um respeitosamente pegava um só. No dia seguinte outra criança trouxe de casa um pacote grande de biscoito para compartilhar. É esse o verbo da nossa turma, todo mundo é livre para compartilhar, não é obrigado. A partir disso quase todos os dias alguns pais e eu mesma, trazemos alguma coisa gostosa para compartilhar. Não importa a tamanho ou quantidade, nosso lema é dividir. Com isso outras boas práticas foram aparecendo, eles emprestam e devolvem materiais uns aos outros, meu armário não tem chave, e nada some, as bolsas ficam todas juntas e ninguém até este momento tirou alguma coisa do outro. Também, levei a ideia de compartilhamento para brinquedos, hoje mesmo recebemos alguns brinquedos usados para ficar na sala, e também lápis de cores, lápis preto e borracha".
Essa prática visa contrapor a uma ideologia cada vez mais dominante em nossa sociedade. 
A ideologia é o conjunto de ideias fundamentais que caracteriza o pensamento de uma pessoa, de uma coletividade ou de uma época. Também se trata da doutrina filosófica centrada no estudo da origem das ideias.
A ideologia tende a conservar ou a transformar o sistema social, econômico, político ou cultural existente. Conta com duas características principais: trata-se de uma representação da sociedade e apresenta um programa político. Ou seja, reflete sobre a forma como atua a sociedade no seu conjunto e, com base nisto, elabora um plano de ação para se aproximar e ir ao encontro daquilo que considera como sendo a sociedade ideal. (...)
O termo ideologia foi criado por Destutt de Tracy para evocar a ciência que estuda as ideias e as relações entre os signos que as exprimem. Posteriormente, Karl Marx transformou a ideologia no conjunto de ideias cuja relação com a realidade é menos importante que o seu objetivo (evitar que os oprimidos percebam o seu estado de opressão). Por isso, Marx afirma que a ideologia dá origem a uma falsa consciência das condições materiais de existência do homem.
Neste sentido, a ideologia é uma ferramenta de controle social para despojar o ser humano da sua liberdade, tornando-o parte de uma massa manipulável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário