Licensa

22/03/2012

Matemática do 1º ao 5º ano

Nossa reflexão no HEC de hoje foi sobre o ensino / aprendizagem da matemática. 
matemática do 1º ao 5º ano 

OBJETIVOS: 

1. Refletir sobre: “O que ensinar? Como ensinar? O que devemos considerar para realizar essa atividade a contento? 
2. Refletir sobre a seguinte questão: “Se nascemos e vivemos “resolvendo problemas”, por que aparentemente, isto para de acontecer, com as crianças, justamente no período escolar? 
3. Discutir a respeito da seguinte afirmação: “Por que as crianças deixam de pensar ou expressar seu pensamento e suas hipóteses a partir da entrada na escola”? 
4. Rever o conceito de “erro matemático” a luz das novas pesquisas da área; 
5. Rever os principais “mitos pedagógicos” presentes no cotidiano escolar, com relação ao ensino / aprendizagem da matemática e refletir sobre cada um deles; 
6. Refletir que os conhecimentos de como os alunos aprendem matemática tem mais de 30 anos e ainda não constam dos currículos dos cursos de licenciatura; 
7. Discutir com os docentes que aos poucos, esses conhecimentos começam a aparecer em programas de formação continuada, mostrando maneiras eficientes de ensino da disciplina; 
8. Conceituar o que vem a ser contrato didático, apresentar o autor desse conceito, Guy Brousseau e como ele descreveu as relações entre o professor, o saber e o aluno; 
9. Discutir qual o papel do professor/aluno/saber na teoria das Situações Didáticas; 
10. Esclarecer o que o autor quis dizer com a afirmação: “docente fazer um duplo papel cíclico”; (...)
As pesquisas no campo da Didática da Matemática, iniciadas nas décadas de 1970 e 1980, sobretudo na França, estão mudando o ensino da disciplina. Graças às descobertas teóricas de especialistas como Gérard Vergnaud e Guy Brousseau, hoje é possível ensinar de forma que as crianças vejam sentido na aprendizagem matemática e possam reutilizar os conhecimentos adquiridos a cada novo problema proposto. Nessa perspectiva, são priorizadas estratégias nas quais os alunos confrontam seu raciocínio com o dos colegas nas discussões em grupo, justificam suas escolhas e registram suas próprias hipóteses, buscando resolver situações-problema com mais autonomia.

Foto: arquivo pessoal 

Guy Brousseau: o pai da didática da Matemática
Os estudos do educador francês definiram as condições de ensino e aprendizagem.
Gérard Vergnaud. Foto: Kriz Knack 

Gérard Vergnaud: "Todos perdem quando a pesquisa não é colocada em prática"

O pesquisador francês, uma referência na didática de Matemática, diz que só conhecendo a forma como os alunos aprendem é possível ensinar.
Foto: Marcos Rosa 

Para Jeremy Kilpatrick, a única saída é a capacitação
Professor norte-americano acredita que é necessário encontrar novas maneiras de preparar os docentes para que ajudem os alunos a raciocinar.
 
Abaixo a Matemática do papagaio - Fala Mestre com Thomas O'brien
O educador Thomas O`Brien trocou a decoreba pelo construtivismo. E sugere que seus colegas sigam o mesmo caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário