Licensa

09/03/2012

LIÇÃO DE CASA – QUE PRÁTICA É ESTA?

LIÇÃO DE CASA – QUE PRÁTICA É ESTA?
No HEC desta semana discutimos o tema acima. Considerando o quanto o dever de casa é parte do processo escolar, é curioso o quanto incomoda.
Como os professores veem a lição de casa? Quais desafios eles enfrentam na preparação e devolutiva do resultado para os alunos? 
E os pais: qual a visão deles a respeito? para alguns, é muita tarefa e não sobra tempo para outras atividades; para outros, é pouca tarefa, que é realizada em dez minutos e a criança não adquire hábitos de estudo. Para alguns pais, ainda, a lição de casa não tem a qualidade desejada, seja porque é fácil demais, sem desafios ao aluno, ou porque a criança não consegue fazê-la sozinha, (...)
Para os alunos, a Lição de Casa, muitas vezes, também gera desconforto. Por quais motivos? Há, ainda, alunos que não se interessam pelas atividades de Lição de Casa, vão deixando para mais tarde, e acabam sem tempo para fazê-la ou fazendo sem qualidade.
PARA QUE SERVE A LIÇÃO DE CASA?
Em primeiro lugar, precisamos situar a Lição de Casa como atividades que representam uma oportunidade de auto- aprendizagem, auto-conhecimento, de reflexão, expressão e crescimento pessoal do aluno. Mas, é assim que ela é vista e trabalhada pela escola? 
COMO DEVE SER A LIÇÃO DE CASA?
Não há um único tipo de Lição de Casa que poderíamos escolher como a melhor. A diversidade de propostas é o que poderá beneficiar a todos os alunos. Temos clareza dessa diversidade? Fazemos uso dela? Em que medida? Com que frequência? 
Além da diversidade de tipos de Lição de Casa, é importante que o professor esteja atento à necessidade de diversificar a quantidade e o grau de dificuldade que a lição oferece, tendo em vista o conhecimento que tem de seus alunos quanto ao ritmo de trabalho, autonomia e desenvolvimento cognitivo (...)
Aprender a estudar também poderá ser uma atividade de Lição de Casa, desde que orientada pelo professor. (...)
QUAL A PERIODICIDADE E QUANTIDADE DE LIÇÃO DE CASA?
(...) É possível, assim, estimar uma quantidade média de lição para cada ano /série, mas esta será apenas uma referência, sujeita a avaliações e ajustes constantes.
A CORREÇÃO DA LIÇÃO DE CASA
Toda a tarefa solicitada pelo professor deverá receber algum tipo de tratamento, que pode variar conforme o objetivo. Por exemplo:
Correção individual feita pelo professor;
Correção coletiva feita pelo aluno com a mediação do professor e dos colegas;
Correção feita em duplas de alunos, com posterior revisão do professor;
Correção por amostragem feita pelo professor;
Correção feita por colegas monitores;
Auto-correção;
Todas elas são viáveis? Umas são mais viáveis que as outras? Quais? Por que?
Em relação ao tipo de correção, a diversidade também é um fator favorável para o desenvolvimento de procedimentos de aprendizagem no aluno. A utilização de diferentes formas de correção poderá romper com a ideia de que o aluno faz a lição somente para o professor corrigir, estabelecendo assim uma relação mecânica e sem significado com o conhecimento.
ALUNO QUE NÃO FAZ A LIÇÃO DE CASA
Não podemos estabelecer condutas generalizadas diante do fato de alunos que não fazem a Lição de Casa.
A LIÇÃO DE CASA NA ROTINA DO DIA
Para que a tarefa de casa tenha a atenção e o tratamento adequados, é preciso que o professor planeje a agenda do dia de tal forma que tenha tempo suficiente para: - conversar com os alunos sobre a proposta da lição de casa, (...) o professor verificar se todos anotaram adequadamente. (...) 
Mesmo que seja somente para recolher, é importante o professor ouvir os alunos sobre as dúvidas, dificuldades, (...) tempo não der para todos os alunos apresentarem no mesmo dia, o professor deverá, pelo menos, tomar conhecimento da contribuição de cada um e organizar com a classe todas as apresentações para o dia seguinte; (...)
A LIÇÃO DE CASA E A FAMÍLIA
A pergunta mais frequente dos pais é se devem ajudar na Lição de Casa e, se sim, como devem fazê-lo. (...) No entanto, interessar-se não significa assumir para si a obrigação de ensinar à criança, conceitos e procedimentos que são da competência da escola. Os adultos não estão proibidos de compartilhar o conhecimento trabalhado na escola com as crianças, mas também não devem se sentir obrigados a fazê-lo.
(...) a criança solicita muita ajuda para realizar a tarefa de casa, os pais devem comunicar a escola para que os motivos sejam analisados.
 
"Isto tudo dá trabalho, gasta muito tempo, mas como diz Madalena Freire, “...aprender não é espontâneo nem natural. Em certo sentido, aprender dói, pois se dá no trabalho com a ignorância. É um confronto com a falta, com o limite, com o desejo. Muita gente imagina, nos desvios do construtivismo, que aprender tem de ser gostoso, prazeroso, lúdico... Não é nada disso: dói. Não é a dor eterna, mas a dor do início da construção da disciplina intelectual. O prazer só vem depois, como um parto.”

2 comentários:

  1. de acordo com Antonio Freitas da Corte e Cleuza Vilas Boas

    Falar sobre lição é discutir diretamente as concepções de Educação. Educar não é apenas informar. Educar é formar, propiciando situações em que o aluno se sinta co-responsável pelo processo de aprendizagem.

    achei interessante refletir sobre essa perspectiva....

    ResponderExcluir
  2. Muito legal sua contribuição com a discussão sobre o tema. Para que as pessoas interessadas possam ampliar o conhecimento sobre o assunto, penso ser interessante colocar alguma referência sobre os autores citados. Não acha?
    Para saber mais: http://www.iparaiba.com.br/noticias,164276,24,para+que+serve+a+licao+de+casa?+.html

    ResponderExcluir