Licensa

10/03/2012

“A história do gato”

Várias atividades chamaram-me a atenção durante a leitura dos semanários desta semana. Os enfoques dados pelos professores são muito ricos e diversificados. Coloquei vários “recadinhos” solicitando “autorização” para publicação neste blog. Uns já enviaram material, outros estou aguardando....


Roda de leitura
Leitura do livro: “A história do gato” – Série Lelé da Cuca – Supervisão Pedagógica Profª Madalena Freire. 


Sinopse:

O livro A História do Gato, que pertence à série "Lelé da Cuca", da Ática, bem que poderia se chamar "As aparências enganam". No enredo do livrinho, um bichano é muito querido pelos seus iguais, mas é desprezado pelas madames, donas de seus amigos. O gatinho, muito chateado, procura a ajuda de outros animais e se revela um bichinho muito mais lindo que os gatos "riquinhos". A série Lelé da Cuca foi originalmente criada em língua inglesa. Os autores de A História do Gato são Jackie Robb e Berny Stringle e seus ilustradores Karen Duncan e Samantha Stringle. Na edição da Ática, a tradução é de Luciano Vieira Machado e, a supervisão pedagógica, da professora Madalena Freire. Humor, leveza e poesia do texto são marcas da série, na avaliação de Claudia Morales, editora-adjunta da Ática. "É importante ressaltar também a alta qualidade do trabalho gráfico e das ilustrações, muito atrativo, inusitado e de fácil empatia e assimilação", explica. A série "Lelé da Cuca" é destinada a crianças não-alfabetizadas ou em fase de alfabetização e apresenta os seus textos em versos, além de utilizar um recurso pedagógico muito importante, que é a escrita em letras maiúsculas ou letra de fôrma. "Primeiro, a criança aprende a ler e, logo depois, a escrever", lembra a professora Madalena Freire. "As letras dispostas como estão na série facilitam demais o aprendizado."Além de A História do Gato, a série tem publicados outros livros, como A História da Lesma, A História do Tatu e A História do Cão. 


Esta é a história de um gato bem relaxado, mas que é bom amigo e muito animado! Ele não tem modos e é bem largadão, mas em elegância ele foi campeão. 


Antes da leitura: (Antecipação) 

- sobre o que vocês acham que a história falará? (sobre um gato?)
- como será este gato?
- o que ele faz? 
- será que ele é um gato diferente dos outros? Em que? · 

Após a leitura (Visualização)
- como era o gato da história?
- o que ele fazia?
- Ele era um gato comum ou diferente?
- o que aconteceu com ele?
- você gostou do final da história? - alguém tem um gato em casa? Como ele é? O que ele


Estratégias de leitura: conexão texto / texto e inferência - Propósito: visualizar para completar a informação ausente
Leitura: O Gato de Botas, O Gato Viriato, Só um pulinho de Gato, (...)

Contos de fada - O Gato de Botas


Possibilidades:
Desenhar o que você visualiza
Comentar a sua imagem mental
Arte - dobradura
Que nome daremos a ele?
Onde ele mora? Desenhe sua casa.
Como ele é? Pinte como é seu gatinho.

Análise da Série Lelé da Cuca

Editada pela Ática, a coleção Lelé da Cuca chegou às livrarias brasileiras a partir de 2002, com A história da Ameba. No ano seguinte, 2003, foi editada a versão brasileira de A história da Lesma. Todos os outros livros vieram em 2004, sendo reeditados desde então. 

Os oito livros (A história da Ameba, A história do Plâncton, A história da Lesma, A história da Aranha, A história do Morcego, A história do Tatu, A história do Cão, A história do Gato) correspondem à tradução dos originais em inglês, da série Bang on the door, publicada pela editora David Bennet Books Limited, uma divisão da Chrysallis Books Pic., da Grã-Bretanha, a partir de 1999. 

São escritos pela dupla 

Jackie Robb e Berny Stringle, e traduzidos para o português por Luciano V. Machado, sob a supervisão pedagógica da professora Madalena Freire 

As ilustrações são das também britânicas Karen Duncan e Samantha Stringle. 

Apresentam capa em papel-cartão na proporção de 20 cm x 20 cm. Podem ser encaradas como qualquer outra capa de Literatura Infantil. Valendo-me de palavras de Ferreira e Melo (2006:200-201), são harmoniosamente atraentes e estrategicamente pensadas em seu jogo de cores, imagens e letras em tamanhos diferentes, [que] fazem um convite ao seu leitor infantil. 

Existe, entretanto, um diferencial: os bichos que estão estampados são diferentes do que normalmente se vê nas estantes das livrarias e das bibliotecas escolares, e as cores de fundo da capa são brilhantes, berrantes, incomuns, dando a impressão de deixarem o animal retratado em franca evidência. 

Além disso, as capas são coloridas diferentemente para cada livro, todas em cores fortes e chamativas, abrindo a possibilidade de formar o seguinte degradê: do amarelo ao azul para os animais invertebrados (da aranha ao plâncton), e do laranja ao roxo para os vertebrados (do cão ao morcego). 

São 32 páginas, impressas em papel couchê brilhante, sendo 24 as páginas que contêm a narrativa. As três primeiras e as três últimas contêm informações paralelas ao texto. Na primeira página há uma nota na qual está escrita “Este livro Lelé da Cuca pertence a”, seguido por um espaço pautado que é um convite ao preenchimento do nome do dono do livro. Nas segunda, terceira, trigésima e trigésima-primeira páginas há um inventário com 36 animais, incluindo os oito presentes nesta análise.

As ilustrações ocupam os 16 cm superiores de cada página, e o texto, formado por duas linhas de letras pretas em caixa alta sobre uma faixa branca, ocupa os 4 cm inferiores.
O traço das ilustrações não tem precisão anatômica nem parece um “desenho adulto”; a irregularidade de linhas, a falta de transição em cores, e com isso, a falta de suavidade na aparência, leva à ideia de um desenho rústico, de uma brutalidade alegre, “feito por crianças”. 
O texto é elaborado por rimas, ora na mesma página, ora na composição de duas. Este recurso estilístico, junto com a tradução bem feita, que não se mostrou truncada ou longe da forma brasileira de se expressar, torna a linguagem fluida e de rápido entendimento.
Como acabei me interessando muito pela coleção, postarei em breve mais informações com as devidas referências.

HAIKAI - JEANETTE STACE

um gato perdido
olha pela janela
da casa vazia

2 comentários:

  1. Achei a proposta de leitura bem interessante!
    Abraços, profa. Carol.

    ResponderExcluir
  2. Acabei me aprofundando no assunto.... (como sempre!!!!) e descobri muitas coisas interessantes que podem nos ajudar bastante... Postarei em breve.
    Obrigada.
    Beijos
    Rose

    ResponderExcluir