Licensa

30/01/2012

INCLUSÃO

Preocupada com o planejamento escolar de 2012 e empenhada em promover nova sensibilização com professores e funcionários sobre a questão da Inclusão, realizei um pequeno levantamento de filmes e documentários a respeito do tema. Há uma variedade muito grande de materiais a disposição, basta querer e saber como utilizá-los. Eis alguns deles:

SUGESTÕES DE FILMES, DOCUMENTÁRIOS E SITES
FILMES
· Nell – sobre linguagem;
· O milagre de Helen Sulivan – sobre surdez-cegueira;
· Filhos do silêncio - sobre surdez;
· A música e o silêncio - sobre surdez;
· Gestos de amor - sobre surdez;
· Os sinos de Annie - sobre dislexia e cegueira;
· Livre para voar – sobre deficiência física.

DOCUMENTÁRIOS
· Educação Especial


TV Escola:
a) Deficiência: mito e realidade;
b) TV Executiva: os novos rumos da Educação Especial ( dois vídeos );
c) O menor elefante do mundo – ética – animação;
d) Um salto para o futuro – Série Escola – Exclusão e inclusão – cinco programas

Área Auditiva:
TV Escola:
a) Série Deficiência Auditiva:
- Conhecendo a surdez;
- Aprendendo a se comunicar;
- A busca da inclusão;
- Língua Brasileira de Sinais;
b) Linguagem silenciosa;
c) Para um filho surdo;
d) Série direitos do coração – programa 2 – O torneio;
e) Quem não escuta, a chance encurta – saúde; Fundação Roquete Pinto;
e) Vejo vozes;
O Mundo dos surdos e os absurdos do mundo;
Mãos viajantes;
GNT – O som e a fúria;
Discovery Channel – A linguagem.

Área visual
TV Escola:
f ) De olhos fechados;
g) Hamsa, eu sou.

Área Mental
TV Escola:
a) Série Deficiência Mental;
b) Deficiente mental: ameaça ou oportunidade?
c) Estimulação intensificada;
d) Brincar é coisa séria;
e) O desafio da escola;
f ) Passagem para a vida adulta;
g) Vida adulta e cidadania;
b) REVIVER Programa Down;
f ) A viagem da alegria;
g) Músicos especiais ( Síndrome de Williams ).

Área Física
a) Série Deficiência Física;
b) Apenas diferentes;
c) Os primeiros anos;
d) Escola, a primeira aventura;
e) Bem além dos limites;
f ) Ritmo, desejo, ação!
g) Adulto, cidadão e diferente;
h) O lutador;
i) Nem sempre será fácil.

Área Múltipla
a) Série Deficiências Múltiplas;
b) Deficiências múltiplas;
c) Estimulação precoce;
d) Pré-escola – a aventura começa;
e) Escolarização em busca da cidadania.

Área visual-auditiva
a) Série “Os Transformadores”;
b) As borboletas de Zagorsk.

Superdotados
a) Série Superdotados;
c) Superdotados;
d) Superdotados no ensino regular.

Dificuldades de aprendizagem
e) Sua própria mente: capacidade invisível.

SITES
· www.acessibilidade.net - informações gerais;
· www.entreamingos.com.br - informações gerais;
· www.niee.ufrgs.br - núcleo de informática de Educação Especial;
· www.geocities.com/artevital/eficiente - informações gerais;
· www.keepnet.com.br - sobre lesão medular;
· www.vionworldfoundation.org - sobre deficiência visual;
· www.clicdeficiencia.com.br -informações gerais;
· www.educacaoparadeficientes.hpg.ig.com.br - sobre inclusão e ensino a distância;
· www.truenet.com.br/ronaldo - sobre paralisia cerebral;
· www.geocities.com/defis_2000/index - sobre deficiência;
· www.surdo-ce.org.br - sobre surdez;
· www.geosities.com/hotsprings/7455 - depoimentos de deficientes;
· www.ama.org.br - sobre autismo;
· www.adid.com.br - sobre Síndrome de Down;
· www.gentespecial.com.br – depoimentos.
- www.sentido.com.br
· www.inclusão.com.br
· www.ama.org.br – associação amigos do autista;
· www.mj.gov.br/corde/webcorde.html
· www.truenet.com.br/ronaldo/
· www.geocities.com/hotsprings/7455/index.htm
· www.nce.ufrj.br/aau/dosvox
· www.aleph.com.br/diferent
· www.uc.pt/SACAD/gatped.html

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
A nova LDB e as necessidades educativas especiais. Cadernos CEDES n.46. Campinas/SP: UNICAMP, 1998.
AMARAL, Lígia A. Sobre a questão da integração: “a política do Avis-Struthio” e o “leito de Procusto”. Revista Integração, MEC, 4(13), p. 30-32, 1991.
___________. Pensar a diferença/deficiência. Brasil, MJ/CORDE, 1995.
AQUINO, J. G. (org.).Diferenças e preconceitos na Escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998.
ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro:Forense Universitária, 1983
BIANCHETTI, L., FREIRE, I. M. (org.). Um olhar sobre a diferença: integração, trabalho e cidadania. São Paulo: Papirus, 1998.
BUENO, José Geraldo S. Educação Especial brasileira: integração/segregação do aluno diferente. São Paulo: Educa, 1993.
Educação Especial. Cadernos CEDES, n. 23 São Paulo: Cortez Editora, 1989.
ESTEBAN, Maria Teresa. Repensando o fracasso escolar. In: Cadernos CEDES, O sucesso escolar: um desafio pedagógico, n. 28, Papirus, 1992.
FERRAZ, Ricardo. Visão e revisão, conceito e pré-conceito. Coletânea de Cartuns 1981-2000, Cachoeiro do Itapemirim/ES, 2000.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio: o dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
FEUERSTEIN, R. Instrumental enrichment. Baltimore: University Park Press, 1980.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Brasiliense, 1997.
GARCIA, Rosalba M. C. Interações voltadas à cidadania e à filantropia na escolarização de sujeitos que apresentam sequelas motoras. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC,1998.
___________. A educação de sujeitos considerados portadores de deficiência: contribuições Vygotskianas. In: Ponto de Vista, Florianópolis: Magister/UFSC, v.1, n.1, 1999.
GOÉS, Maria Cecília R. e SMOLKA, Ana Luiza B. A significação nos espaços educacionais: interação social e subjetivação. Campinas/SP:Papirus,1997.
GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.
HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. 4 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
MASINI, E.F.S. O Perceber e o relacionar-se com o deficiente visual. Brasil: MJ/CORDE, 1994.
MAZZOTA, M.J.S. Alunos e escolas com necessidades especiais no século XXI. Palestra no Fórum Permanente de Linguagem, Educação e Surdez, RS:INES/
MEC, 2001, site: www.educaçaoonline.pro.br, acesso em 5 de dezembro de 2001.
MELLO, G. N. Magistério de 1o. grau: da competência técnica ao compromisso político. 3 ed. São Paulo: Autores Associados,1983.
OMOTE, Sadao. Deficiente e não-deficiente: recortes do mesmo tecido. Revista Brasileira de Educação Especial, vol.1, n.2, Piracicaba/SP:UNIMEP,1994.
___________. Normalização, integração, inclusão. Ponto de Vista, n. 1, UFSC/ CED, 1999.
PASSOS, J. C. O Trabalho docente e a organização escolar: uma articulação necessária. Ponto de Vista. UFSC. 1999, p. 58-67
PESSOTI, Isaias. Deficiência mental: da superstição à ciência. São Paulo: Educ, 1990.
RIBAS, J. B. C. Deficiência: Uma identidade social, cultural e socialmente construída. Revista Integração, ano 4, número 9, 1992, p.4-7.
SANTA CATARINA. Proposta Curricular do Estado de Santa Catarina – Educação Especial. Secretaria Estadual de Educação/SC, 1998.
SASSAKI, R. K. Políticas sociais voltadas às necessidades de pessoas com deficiências. Site www.entreamigos.com.br, 1997, acesso em 5 de janeiro de 2002.
SILVA, Solange C. À rua da escola: estudo de significados construídos por adolescentes abrigados. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC,1999.
SKRTIC, Thomas. La crisis en el conocimiento de la educación especial: una perspectiva sobre la perspectiva. In: Interperetación de la discapacida: Teoria y historia de la eudcacion especial. Barcelona: Ediciones Morata,1996.
VYGOTSKY, L.S. Obras escogidas. Madrid: Editorial Pedagógica, 1997.v.II e V

2 comentários:

  1. Elaine10.6.12

    Amei o seu blog,parabéns.
    Quantas informações preciosas.
    Abraços , Elaine

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!!
      Descobri que sou "blogueira" em janeiro deste ano e estou simplesmente amando a experiência!!!
      É uma nova aprendizagem a cada dia! O mais interessante é poder interagir com pessoas tão distantes, mas ao mesmo tempo tão próximas devido aos interesses, preocupações, etc.
      Obrigado pela visita!!!
      Abraços
      Rose

      Excluir