Licensa

21/01/2012

Eles que não se amavam

O título nos dá uma pista preciosa...
E é exatamente esta a tônica do livro de Celso Sisto, uma parábola que induz o leitor a refletir sobre temas perturbadoramente atuais e cotidianos — a indiferença, o egocentrismo, a antipatia gratuita, o preconceito e, sobretudo, a intolerância.
Um pouco sobre a história:
A narrativa começa com o desencontro de interesses, de gostos, de opiniões entre dois meninos, o Alberto e o Bernardo. Essa falta de afinidades poderia ser inconsequente, contudo, ninguém se engane: o autor desde o início definia-a como “um abismo”.
O fim você terá que descobrir e sobretudo refletir...
O mútuo malquerer vai contaminando primeiro as respectivas famílias, depois os amigos, mais tarde o círculo social, até atingir uma escala coletiva, mundial, capaz de gerar violência e guerra, de destruir, enfim, aquilo que se convencionou chamar de civilização.
Celso Sisto é especialista em literatura infanto-juvenil pela UFRJ, e já publicou diversos livros na área.
O livro possui vocabulário simples, fonte grande e bonitas ilustrações. Consegue explicar a guerra de um jeito meigo, e deixá-la menos ruim aos olhos das crianças.
Celso Sisto é escritor, ilustrador, contador de histórias do grupo Morandubetá (RJ), ator, arte-educador, crítico de literatura infantil e juvenil, especialista em literatura infantil e juvenil, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Doutorando em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e responsável pela formação de inúmeros grupos de contadores de histórias espalhados pelo país. Tem 34 livros publicados para crianças e jovens e já recebeu vários prêmios pela qualidade de sua obra, dentre eles o prêmio de autor revelação (FNLIJ, 1994) e ilustrador revelação (FNLIJ, 1999).
O QUE É BULLYING?
O bullying é um termo ainda pouco conhecido do grande público. De origem inglesa e sem tradução ainda no Brasil, é utilizado para qualificar comportamentos agressivos no âmbito escolar, praticados tanto por meninos quanto por meninas. Os atos de violência (física ou não) ocorrem de forma intencional e repetitiva contra um ou mais alunos que se encontram impossibilitados de fazer frente às agressões sofridas. Tais comportamentos não apresentam motivações específicas ou justificáveis. Em última instância, significa dizer que, de forma “natural”, os mais fortes utilizam os mais frágeis como meros objetos de diversão, prazer e poder, com o intuito de maltratar, intimidar, humilhar e amedrontar suas vítimas.
FILME PACTO MALDITO E A OBRA ELES QUE NÃO SE AMAVAM:
O filme Pacto Maldito (Mean Creek) exibido no Brasil com o nome Quase um Segredo, dirigido por Jacob Aaron,  traz uma reflexão sobre o comportamento ético e moral do ser humano, construído desde cedo.
George (Peck) é o menino esquisito e brigão da escola, o excluído da turma, que tem dificuldades de fazer amigos e lidar com o sentimento alheio. Na pequena cidade onde mora, todos o conhecem.
Certo dia, na escola, George agride e humilha Sam, um garoto frágil que não consegue se defender. Ofendido, Sam se queixa ao irmão mais velho, e com a ajuda de mais alguns amigos eles decidem se vingar de George com uma brincadeira de mal gosto. Mas, o que parecia ser apenas uma brincadeira, acaba numa tragédia.
O grupo de adolescentes, junto com George, vai a um passeio de barco em um lago próximo à cidade. no meio do passeio George ofende seus colegas que ficam mais indignados com o comportamento do amigo. Eles resolvem colocar o plano em prática jogando George na água. Arrependidos, os jovens tentam salvar George antes que o pior aconteça, mas o garoto morre afogado. Agora os adolescentes tem que arcar com as consequências de seus atos e com o sentimento de culpa.
O que levava George a ser um garoto tão agressivo com todos? O que o deixava revoltado? Será que, os jovens queriam apenas dar um susto no colega, ou suas intenções eram as piores? O que passou na cabeça deles no momento de silêncio que evidenciou a morte de George? Ao assistir o filme temos o sentimento de reflexão e de angústia ao saber que o caráter das pessoas às vezes é tão duvidoso.
Rubens Ewald FilhoEspecial para o UOL Cinema
Exibido nos cinemas como "Quase um Segredo", este filme independente que ganhou prêmio Humanitas em Sundance, participou de Cannes e Deauville, Flandersa, Estocolmo e ganhou o Prêmio John Cassavetes no Independent Spirit e um prêmio especial para o elenco jovem. 
Prova de que os júris têm pouca memória, já que a história lembra demais de outro filme de maior impacto e surpresa, que foi "Juventude Assassina" ("The RiverŽs Edge", de 1986), que contava história parecida, só que tinha uma conclusão mais cínica e eficiente. 
Mas o filme é bem feito e interessante, novamente sobre a amoralidade dos jovens. Traz um novo irmão da família Culkin, Rory que é o protagonista ao lado de outras boas figuras, inclusive um galãzinho Scott Melchowicz.
VISITE OS SITES:

Nenhum comentário:

Postar um comentário